By vsimoes

Eu comecei a militar no Movimento Estudantil em 2006. Comecei a fazer isso logo após ter me filiado ao PSOL – Partido Socialismo e Liberdade, no fim de 2005. Na época tinha um colega de curso com o qual compartilhava algumas ideias e que me convidou para me filiar ao partido. Participei do partido tempo o suficiente para entender o significado tanto da articulação entre partidos e movimentos quanto em militar especificamente no P-SOL, experiências que, no fim, me levaram a me desfiliar do partido e a militar de forma independente.

De forma resumida e eu gostaria de colocar isso da forma menos fatalista possível, o problema é que os partidos, no fim, acabam confundindo meios e fins, ou seja, acabam contrariando o próprio discurso de usarem o poder – seja ele representado através de instâncias burocráticas de representação ou não – para a construção do movimento.

Atualmente faço estágio na Companhia Paranaense de Energia Elétrica (COPEL) assim como sou estudante do curso de Ciências Contábeis na Universidade Estadual de Maringá. Entretanto, verdade seja dita, antes de tudo me considero um militante. Isso deve ser deixado bem claro por que, primeiro, é a atividade com a qual mais me identifico e, segundo, é a atividade em torno da qual busco conciliar todas as outras. Isso desde que comecei a exercer essa atividade fascinante que é a atividade política.

Atualizado em 19 de Novembro de 2010.

Atualmente não sou mais estagiário, pois passei em um concurso público e estou trabalhando como servidor. Uma instituição pública, como diria Marilena Chauí, deveria ser encarada como algo que tem a sua legitimidade em aberto, ao contrário de uma organização (ler Universidade Organizacional), ou seja, não deveria ser encarado como algo que tem os seus fins já definidos bastando apenas ao administrador público buscar os meios eficientes para alcançar tais fins. Isso torna a atividade de trabalhar no serviço público atraente por diversas razões: Não só permite à pessoa “servir ao público”, à coletividade, ou à sociedade, como permite também, ao indivíduo se envolver na administração da coisa pública.

Entender que a administração pública é um espaço que está em aberto, permite à sociedade recuperar a sua dimensão política: Devemos todos perceber que o serviço público existe para satisfazer os nossos interesses. Frise-se: coletivos.

Anúncios

4 Responses to “Sobre o Autor”


  1. novembro 16, 2008 às 1:06 pm

    Parabéns pelo Blog, mais um espaço da esquerda Londrinense !!! vou fazer um comentário sobre sua pagina no Pé vermelho idéia certa !! até

  2. outubro 15, 2009 às 9:59 pm

    Vinícius:

    Embora jovem – e presume-se que o seja pela sua condição de universitário (ainda que não necessariamente – dá para perceber que você é uma pessoa realista, centrada e que sabe o que quer. Pelas suas análises às matérias de Richard Dawkins, notável escritor e, diria, pensador, percebe-se também as suas convicções (ir)religiosas. E as de natureza política, essas estão bem claras.

    Por tudo isso, eu que ando “pinçando” mentes iguais às suas, convido-o a participar da rede de discussões Irreligiosos, onde reunimos novos e antigos pensadores, céticos e irreligiosos de todas as correntes, para discutirem o papel das religiões e os seus malefícios nos dias atuais. Procuramos combater o obscurantismo religioso e a exploração da dos incautos pelos charlatões, mercadores da fé. Como não possuímos o seu email, o convite está sendo feito por aqui. Já somos colegas no SBCR.

    Se desejar filiar-se ou apenas conhecer o nosso trabalho, o link é http://irreligiosos.ning.com. (copie e cole no seu navegador).Ficaremos todos honrados com a sua adesão. Parabéns pelo blog!

  3. outubro 19, 2009 às 1:49 pm

    Vinícius, preciso de um espírito como o seu em nossa luta. Vou adicionar-te ao MSN para conversarmos.

  4. dezembro 29, 2010 às 6:53 am

    Vinícius:

    Apenas para registro, verifiquei hoje, por acaso, que já acompanho o seu blog há mais ou menos um ano e meio e quero parabenizá-lo pela persistência e evolução. Daqui para a frente, é só manter o blog abastecido de matérias interessantes e filtrar bem as fontes de embasamento,antes de publicar.

    Sucesso!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: